O TEU INCÊNDIO

O incendiário
vos convida
a apagar o fogo.



Não fui eu!
Não me culpe da cobra que te morde,
da febre que te consome e te argumenta,
do x que não se revela na tua equação.

Não me queira (aziago) anunciando
a vitória futura sobre os inimigos da tua lavra.

Não me esfregue ao nariz a centésima teoria
de como melhorar o dia, o café, a economia.

Não me chame para assinar o manifesto
de ser bom e funcionar mediante a tua regra de ouro.

Não chore, não grite, não se iluda!
Não tente atear ódio aos rios!
Não ouse, entredentes, Mercedes Sosa!
Não cante Let it be como se náusea fosse.

Diria um profeta, se profecia isto se dissesse:
                                         Ah, vai tomar banho!

Recua tua língua da minha calçada,
da minha varanda, da minha reza!

│Autor: Webston Moura
_______________________

Comentários