NA HUMANA PAISAGEM QUE ME PASSEIA

Cometo erros, e a simetria dos meus olhos
canta cascade, de Siouxsie and The Banshees.
Querem-me ordinário, usual e militante,
mas eu gosto é desses campos vazios,
o vagar da mente nos detalhes e no esparso.

Cometo erros, carne-e-osso, loiras noturnas
sorrindo sob a placa de neon-clichê, vénus.
Sinto-me assim, peixe incerto, lume-oscillare,
cântaro a receber ciganas danças, luau.

Chama-me, amor, babel querida, mulher!
Cá estou, calça jeans, sábado de ócio.
Chama-me, bala de café, fogo nômade!
Cá estou, velas ao vento, noite orvalhada.

Cometo erros.
E o que seria de mim
se não os cometesse
na humana paisagem que me passeia?

Quero fugir, quero fugir, quero fugir
de todos os olhos repetitivos.


│Autor: Webston Moura
______________________

Comentários