BREVE MAPA DE UMA TERÇA-FEIRA

nenhuma data rezinga na solidão de agora,
exceto a que, tarde de chuva e barcos de papel,
pronuncia o menino que fui e que em mim continua.

                   (o amarelo das fotos me tinge)

lá fora, um inchaço a que chamamos cidade:
                caminhos e labirintos; dinheiro.

sob esta goiabeira, a sol resistida,
com um arisco azulão a saltar,
sou remorso quase alegre, quase melancólico,
e penso: é preciso deflagrar o bálsamo.



│Autor: Webston Moura
............................
NOTA:
I. Os versos em negrito e itálico constam, respectivamente, dos meus poemas "Alma de lacrau",  "Cascas do sono" e "Bálsamo violento" (Encontros imprecisos: insinuações poéticas; 2016)
________________________