A CADEIRA VAZIA

Uma foto,
adocicada dor,
saudade.

Em seus olhos, as estradas poeirentas,
aqueles dias de caravanas e distâncias.
Depois, os mares de todos os nomes,
cada porto e suas gentes, idiomas frescos,
cidades a passear, segredos a descobrir.

Sim, fomos felizes.
Mas como é duro ver esta cadeira vazia
nesta casa tão docemente arrumada!


│Poema da Série “Tempo e Vida” – Autor: Webston Moura│

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Esteja à vontade para comentar. Se possível, compartilhe o post nas redes sociais. Grato! Webston Moura