POSSO O ERRO COMO SAUDÁVEL TRAJETO HUMANO

Dentro do sangue, as palavras não estão em ordem.
Não há policiais gramáticas hierarquizando o desejo.
Se me ponho nesta liberdade, posso a clorofila,
o leopardo, o beijo, a montanha e o abraço.
Posso a carne, que é meu templo saqueado
e minha possibilidade de que haja o agora.
Posso o erro como saudável trajeto humano.
Não escreverei, pois, com os olhos vidrados
e o medo insuflado ao grau de virtude.

Enquanto escrevo, conspiram outros pelo poder.
E, no medo, rezam aos seus deuses petrificados.
Coagem, deturpam, aniquilam ─ eis sua gramática!
Dementes, não se sabem tais
                 e, assim, não voam
                 (quando pensam que sim).


........................................................
│Autor: Webston Moura
______________________

Comentários

  1. Mais dois exemplos de sua sempre criativa ótica poética. Para nosso bem. Abraços.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

OS 10 POSTS MAIS VISITADOS DOS ÚLTIMOS 30 DIAS

ÚLTIMO GRITO CONTRA A ESCURIDÃO

CONSUMAÇÃO

POEMAS DE PEDRO DU BOIS

VIAJANDO NA MADRUGADA

O PIANO

SOMBRAS E SOBRIEDADE

ÁVIDA FLAMA INCESSANTE

SERTÃO

CATILINA