Diana


Quando,
por entre nadas,
flutuações: noite.

Vida que,
sem preço,
ata-se apenas à liberdade.

Silêncio.
Toda flor sonha.


│Autor: Webston Moura
____________________

Comentários

OS 10 POSTS MAIS VISITADOS DOS ÚLTIMOS 30 DIAS

ÚLTIMO GRITO CONTRA A ESCURIDÃO

CONSUMAÇÃO

POEMAS DE PEDRO DU BOIS

VIAJANDO NA MADRUGADA

O PIANO

SOMBRAS E SOBRIEDADE

ÁVIDA FLAMA INCESSANTE

SERTÃO

CATILINA